Sorriso recebe atestado de regularidade no manejo de resíduos sólidos urbanos 18/02/2021 Fonte: Assessoria
O município de Sorriso recebeu o atestado de regularidade de manejo de resíduos sólidos urbanos, fornecido pela Secretaria Nacional de Saneamento, em relação ao ano de 2019. Para receber o atestado, o município teve que responder a uma pesquisa do Sistema Nacional de Saneamento informando quais as políticas públicas realizadas no manejo dos resíduos sólidos urbanos. Dentre os destaques estão o programa de Coleta de Resíduos Sólidos com calendário anual organizado; o programa de Coleta Seletiva em alguns bairros e o Eco Sorriso com quatro ecopontos instalados em locais de referência como unidades escolares. Além disso, todos os bairros são atendidos com a coleta do lixo úmido e todo material recolhido tem como destino certo o aterro sanitário.

Especificamente com a coleta de resíduos sólidos, são recolhidos móveis e eletrodomésticos velhos e inservíveis e resíduos sólidos provenientes da limpeza de jardins (folhas e restos vegetais que podem servir como criadouro de insetos e animais peçonhentos, como a grama quando é cortada).

Ou na coleta seletiva ou nos ecopontos devem ser destinados resíduos específicos e devidamente limpos. Podem e devem ser levados aos ecopontos do Villa Romana, da Escola Municipal Flor do Amanhã (Bairro Industrial) e também do Cemeis Caminhos do Saber (Jardim Primavera), os seguintes itens: embalagens de plástico, papel, papelão, metal (alumínio, ferro, cobre), sacos plásticos, isopor, embalagens tetra pak (caixinhas de suco e leite), e vidro. Outra opção é o descarte desses itens em bolsas já predestinadas pela Prefeitura nos bairros onde o serviço está sendo realizado.

Já aqueles galhos maiores, resultado de podas, devem ser levados pelo próprio morador até o Depósito Municipal de Entulhos e Galhadas (antigo Lixão). Neste mesmo local devem ser destinados os restos de construção civil e também resíduos industriais.

Esta é a 18ª oitava edição do Diagnóstico do Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos realizada pela Secretaria Nacional de Saneamento (SNS) do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). O diagnóstico é elaborado com base nas informações fornecidas pelos prestadores dos serviços públicos de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos urbanos dos municípios, que participaram da coleta de dados do ano de 2020, com ano de referência 2019. Na atual edição, 3.712 municípios participaram da coleta, isto é, 66,6% do total do país. Em termos de população urbana este percentual representa 86,6% ou 154,2 milhões de habitantes.

São levantadas informações de diversos tipos, como, por exemplo, a cobertura do serviço regular de coleta de resíduos domiciliares, as informações sobre a massa coletada, a coleta seletiva e a recuperação de materiais recicláveis, o desempenho financeiro - incluindo as receitas e despesas – e, também, os dados referentes à destinação final dos resíduos sólidos urbanos, contemplando avaliações sobre as unidades de processamento e as relações de importação e exportação de resíduos domiciliares e públicos entre os municípios, dentre outras informações. A partir do conjunto de informações são calculados 47 indicadores no sistema, dentre eles taxa de cobertura do serviço de coleta domiciliar, massa recuperada per capita e autossuficiência financeira do órgão gestor.
COMPARTILHAR COM