Adenilson protocola denúncias referentes à saúde no Ministério Público
21 de Abril de 2018 - Fonte:Assessoria
Compartilhar
  • Na tarde desta sexta-feira (20) o vereador Adenilson Rocha (PSDB) protocolou junto ao Ministério Público Estadual denúncias quanto à situação caótica do Sistema de Saúde pública, tanto municipal quanto estadual.

     

    A representação é direcionada a Prefeitura Municipal de Sinop, Agência de Desenvolvimento Econômico (Adesco) e Governo do Estado de Mato Grosso. “Estamos buscando soluções para situação caótica e crítica que estamos passando em nosso município por falta de saúde pública. Diversas pessoas estão perdendo suas vidas por não ter infraestrutura suficiente para atender a demanda de nossa cidade”, comenta o Vereador.

     

    Adenilson aponta na denúncia algumas irregularidades como a falta de equipes médicas, enfermeiros, além de equipamentos. “O município não esta dano suporte necessário para que a atenção básica funcione. Constatamos a falta desde medidor fetal a medicamentos. Falta de impressoras, entre outros materiais. Existem postos que tem apenas uma equipe de enfermeiros para cobrir uma área de pelo menos três equipes. Este contexto acaba criando um circulo vicioso que os pacientes procuram o atendimento de unidade de atenção básica e os próprios médicos encaminham todos para atendimento da única unidade 24 horas da cidade. Sinop conta com aproximadamente 160 mil habitantes e também recebe pessoas de outras cidades da região, além do estado do Pará”, enfatiza Rocha.

     

    Em relação ao Hospital Regional de Sinop, Adenilson pontua a falta de leitos. “O governo do Estado, não faz a sua obrigação deixando a hospital regional com apenas ‘em contrato’ com 55 leitos, entre estes 55, 10 leitos pertence a UTI, ficando 45 para ser dividido entre pacientes que estão à espera de cirurgia, sendo que tem um paciente que já esta há 12 meses internado aguardando cirurgia. A unidade hospitalar trabalha de resumida, hoje o Hospital Regional tem por sua vez, 35 leitos à disposição cidade de Sinop e região com custo de R$ 3,089 mi (três milhões s e 89 mil reais) para manter estes 55 leitos”, destaca Adenilson.

     

    O vereador destaca algumas adequações que podem resolver os problemas da saúde no município. “Peço que o município aumente o numero de médicos, que Adesco faça uma forma de escala que fique público e notório as comprovações dos plantões médicos.  Peço que município coloque mais 2 (duas) Unidades Básicas de Saúde que funcionem 24 horas para atendimento, peço que o município adquira mais 2 (duas) ambulâncias e que unidade Upa da região do São Cristóvão, não somente tenha corpo clínico e sim tenha equipamentos para a realização de exames necessários, caso não tenha possibilidade de adquirir que faça parceria publica privada, e que o estado cumpra com sua obrigação junto a sociedade sinopense. Ele que sempre prometeu abertura total do Hospital Regional de Sinop”, finaliza o vereador.

     

    O documento foi protocolado e segue para análise do Ministério Público Estadual de Sinop.