INDISCIPLINANO CONTEXTO ESCOLAR
17 de Dezembro de 2018 - Fonte:ROSEMERI DOS SANTOS AUGUSTO, MARCIO MAURICIO PICOLI, ROSEANI DO CARMO WERNER, ROSANGELA LOPES VIEIRA BORTOLON
Compartilhar
  • ROSEMERI DOS SANTOS AUGUSTO

    MARCIO MAURICIO PICOLI

    ROSEANI DO CARMO WERNER

    ROSANGELA LOPES VIEIRA BORTOLON

     

    O presente texto tem por objetivo apresentar problemas relacionados à indisciplina e violência no ambiente escolar. A indisciplina vem sendo apontada como um obstáculo enfrentado nas escolas, muitos alunos não respeitam as regras e limites básicos dentro da sala de aula e muitos professores ainda encontram dificuldades em lidar com esse assunto. Porém, ela vem se destacando pela falta de limites dos alunos não só no ambiente escolar mais fora dele também. Quando falamos de indisciplina escolar, não podemos deixar de fora a violência, seja ela verbal ou física, que vem sendo vivenciada cada vez mais no contexto escolar.

     

    Seria importante a escola junto com os professores e familiares tratarem deste assunto com mais compromisso, refletindo, analisando e pesquisando o porquê deste desvio de conduta do aluno, para poder agir da maneira mais correta para intervenção na busca da solução deste problema. Além da indisciplina e violência gerar vários conflitos na escola, elas atrapalham o convívio, meio social dos alunos e dificulta a transmissão do conhecimento na aula.

     

    A indisciplina escolar vem sendo vivenciada frequentemente e tornando-se um grande desafio no contexto educacional, crescendo cada dia mais nas escolas tornando-se um grande transtorno na vida dos professores. Muitos alunos não respeitam limites e regras propostas, respondem professores com frequência e batem nos colegas, tumultuando as aulas e atrapalhando o processo de ensino/aprendizagem. Devido a esses comportamentos, muitos profissionais acabam se esgotando sem ter a mínima vontade de ministrar suas aulas com compromisso, pois perdem o estímulopor não conseguirem desenvolver uma aula de qualidade, devido à dificuldade enfrentada por esses alunos sem limites.

     

    Diferente de antigamente, está tornando-se cada dia mais complicado estabelecer regras e disciplinas porque alguns alunos não querem respeita-las. A cada dia as crianças tornam-se mais independentes não querendo obedecer nenhum tipo de regra, possuindo sua própria autonomia.

     

    Segundo Aquino (1998 p.7) “[...]as crianças de hoje em dia não tem limites, não reconhecem a autoridade, não respeitam as regras, a responsabilidade por isso é dos pais, que teriam se tornado muitos permissivos”. Desta forma, muitas crianças são mimadas em casa, não respeitam regras e limites, tudo o que querem ter que ser na hora e seus pais acabam cedendo não querendo contrariar a criança, tornando-a indisciplinada, a criança chega á escola e acha que vai ser assim também.

     

                Aquino (2003) nos orienta que a indisciplina se trata de um fenômeno escolar que vem ultrapassando as fronteiras socioculturais assim como as econômicas, então, existe varias formas do comportamento indisciplinar se destacar na criança que não convive em um ambiente aconchegante, afetivo e onde a família se socialize entre si tendo dialogo e muito amor.

     

    Dentro do contexto escolar, os professores e alunos devem respeitar-se, manter um respeito e relação aluno/professor com respeito. Conforme Oliveira (2005 p.63):

     

    Se é preciso propiciar a autonomia do educando, é preciso também rever nosso sistema de regras dentro da escola. Elas sem duvida são necessárias, mas é fundamental que se tenha a preocupação em garantir a sua clareza e a transparência na sua apresentação como também coerência das sanções, sem nos esquecermos de que somente a existência de regras, coletivamente definidas, pode esclarecer que atitudes os alunos devem evitar em sala de aula e na escola, visto que as regras implicam o entendimento do conceito de moral e ética.

     

    A citação nos esclarece que é importante entender que as crianças também possuem necessidades, então cabe ao professor conversar, explicar as regras e limites da sala, criando estratégias para poderem chegar ao bom sensorespeitando também a autonomia da criança, desde que não atrapalhe sua aula. Necessita-se de uma aula dinâmica, inovadora, criativa e prazerosa onde a criança possa participar e dialogar com seus colegas e com o professor. É importante o professor saber lidar com esta situação e desempenhar seu papel de forma comprometida e eficaz, a fim, de formar cidadãos críticos e ativos na sociedade em que está inserido.

     

    Pode-se concluir que a indisciplina e violência estão cada vez mais presentes no âmbito escolar, tornando se um assunto muito preocupante e vem sendo discutida repetidamente nas escolas. Assim, fizemos várias analises deste problema para conhecer os reais motivos que levam os alunos a esse desvio de comportamento, antes de julga-los, cabe à escola e ao professor junto com a família verificar o que está acontecendo com este aluno, tanto no ambiente escolar, em casa e onde ele convive, pois muitas vezes alguns agem assim para poder expressar algo que está sentindo.

     

    Sabemos que a indisciplina não é uma solução nada fácil, o professor deve proporcionar momentos agradáveis no processo de ensino e aprendizagem relacionada ao convívio social onde as crianças possam se socializar e interagir entre si, aprendendo a respeitar, conviver e relacionar-se com as diferenças propostas no dia a dia.

     

    REFERÊNCIAS

     

     

    AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina o Contraponto das escolas democráticas.São Paulo: Moderna, 2003.

     

    OLIVEIRA, M. I. Indisciplina escolar: determinações, conseqüências e ações. Brasília: Liber-Livro-Editora, 2005.