Parque Tecnológico Mato Grosso: um espaço atrativo para inovar e fazer negócios
04 de Março de 2019 - Fonte:Rogério Nunes | Coordenador do Parque Tecnológico
Compartilhar
  • Em um planeta de intensas transformações e mudanças, a ciência e tecnologia alavancadas pela inovação avançam a passos cada vez mais velozes, impactando em mudanças de pensamentos e concretizando espaços notoriamente diferenciados pelo capital humano engajado em promover ambiência de inovação, gerando desta maneira uma atmosfera bastante atrativa para negócios disruptivos os que movimentam a economia de forma significativamente positiva. Dentre estes espaços, destacam-se os parques tecnológicos que têm como missão prover a “inteligência”, a Infraestrutura e os serviços necessários ao crescimento e fortalecimento das empresas intensivas em tecnologia. Os parques tecnológicos criam ambientes que dão condições para que a “indústria da inovação” possa nascer crescer e agregar valor a outros setores econômicos e à sociedade como um todo, estabelecendo ação em áreas estratégicas de acordo com a vocação regional.

     

    O parque tecnológico Mato Grosso localizado na região metropolitana do vale do rio Cuiabá na localidade do Chapéu do Sol em Várzea Grande é considerado o maior projeto estratégico para o desenvolvimento da inovação técnico-científica do estado, tendo como áreas prioritárias e transversais o agronegócio, biotecnologia, química verde e novos materiais, geociências e tecnologia da informação e comunicação (TIC). Em termos de infraestrutura urbanística a localidade tem recebido elementos importantes para o seu desenvolvimento, dentre eles destacam-se a implantação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e do instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), além de uma área destinada a futuras instalações da universidade estadual de Mato Grosso (Unemat). Além destes, outros empreendimentos imobiliários de natureza pública e privada estão em fase inicial de implantação.

     

    A implantação do parque tecnológico em conjunto com estes empreendimentos gera, em médio prazo uma nova polaridade urbana na região, estimulando o crescimento e a diversificação econômica do estado através de empresas de alto valor agregado. A análise locacional concentrou atenção em Várzea grande e entorno impactando onze municípios que reúnem 40.720 empresas com 533.494 empregos, representando 29% das empresas e 40% dos empregos de Mato Grosso.

     

    Como atrativo fundamental para o desenvolvimento do parque tecnológico MT destaca-se o centro de inovação, primeiro edifício a se instalar, tido como embrião, mas que ao mesmo tempo estimulará o crescimento da região em torno de temas como inovação, tecnologia e sustentabilidade. Tem o papel fundamental em receber os primeiros parceiros estratégicos e fomentar iniciativas focadas em questões econômicas, ambientais e sociais. O centro de inovação funcionará como o principal atrator do parque, direcionando o público ao interior do mesmo e servindo de palco principal de integração social dos diversos atores do processo de desenvolvimento do parque tecnológico MT.

     

    Diversas ações do parque tecnológico já estão sendo desenvolvidas pela secretaria de ciência tecnologia e Inovação do estado de Mato Grosso, a qual o parque tecnológico está vinculado, aquecendo o ecossistema de inovação estadual a fim de promover o desenvolvimento do estado tendo como base a inovação, atrair empresas de base tecnológica, fomentar a criação de startups, ser a ponte integradora entre o conhecimento e o mercado, fortalecer a competitividade das empresas através da inovação e integrar os mecanismos e iniciativas já existentes.

     

    Rogério Alexandre Nunes é coordenador do Parque Tecnológico da Secretaria de Ciências, Tecnologia e Inovação (Secitec) e Doutor em produtos naturais, sintéticos e bioativos.