Pré-Enem Digital chega a todo o Estado através da antena parabólica
18 de Julho de 2020 - Fonte:Adilson Rosa | Seduc-MT /Foto: Marcos Silva
Compartilhar
  • O Projeto Pré-Enem Digital está acessível em todo o Estado graças às antenas parabólicas instaladas em cidades e localidades da zona rural sem acesso a internet. O projeto, desenvolvido da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) disponibiliza videoaulas com conteúdo voltado para estudantes das escolas públicas que estão se preparando para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outros vestibulares.

     

    Numa parceria com custo zero com a TV Assembléia, as aulas são transmitidas de segunda a sábado (com aulas inéditas e reapresentação). A emissora pode ser vista nos canais 30.1 e 30.2 (aberta e HD Digital) e através das parabólicas na frequência do Satélite C2 Star One. Para quem tem internet, o acesso é pelo canal do programa no Youtube.

     

    Na cidade de Apiacás (a 1.010 quilômetros ao norte da Capital), a antena parabólica é uma ótima opção para os estudantes que residem na zona rural, ou mesma na zona urbana, uma vez que nem todos são conectados à internet. O diretor da Escola Estadual Portal da Amazônia, Edivaldo Greco Cardoso, destaca que pela extensão territorial do município e em várias comunidades a internet não chega, a antena parabólica é a opção.

     

    “Para os alunos que têm acesso ao Pre-Enem Digital, é só elogio. Os comentários é que são conteúdos relevantes. Fizemos uma divulgação, mas não temos um levantamento de quantos estão estudando pelo programa. Mas quem se manifestou está satisfeito”, assinala o diretor.

     

    Na região de Campinápolis (a 658 quilômetros a leste da Capital), o uso de parabólica supre a ausência da internet. A assessora pedagógica Miriam Lagares – que atende nove escolas indígenas e uma urbana – ressalta que através da antena parabólica que o Pré-Enem Digital chega até os estudantes. “Poucos alunos têm acesso a internet e, por isso, a parabólica é a opção”, explica a assessora.

     

    Conteúdo completo

     

    As amigas aprovam o conteúdo do Pré-Enem Digital.
    Créditos: Divulgação

     

    No outro extremo de Mato Grosso, em Ouro Branco do Sul, município de Itiquira (a 357 quilômetros ao sul da Capital), as estudantes Tailaine e Tainara, do 3º ano do Ensino Fundamental, da EE Bonifácio Sachetti, estudam com afinco.

     

    Na avaliação de Tailaine, trata-se de uma plataforma completa, pois as aulas todos os conteúdos, com apostilas de redação, lista de exercícios, interpretação de texto, aulas de física e geometria. Ela acessa o Pre-Enem Digital pela internet.

     

    A estudante explica que, em conversa com alguns amigos, eles também estão estudando a fundo, pois encontraram conteúdo de todas as disciplinam que precisam. É um excelente caminho para a aprendizagem e para conquistar uma vaga nas melhores universidades.

     

    “É claro que todos nós estamos com saudades de ter um professor em sala de aula explicando a matéria, tornando mais fácil o que não foi assimilado. Mas logo estaremos lá, todos juntos”, comenta.

     

    Tainá lembra que, em janeiro haverá a oportunidade dos estudantes fazerem o Enem. Para isso, ela está estudando todas as disciplinas. “Concordo com a Tailaine. É uma plataforma completa, uma grande ajuda no nosso crescimento, uma ferramenta que nos traz um auxílio importante para todos nós nesse momento de pandemia”, ressalta.

     

    200 aulas até dezembro

     

    O Pré-Enem Digital tem 24 vídeos publicados, sendo 64 aulas e três informativos. As aulas são organizadas em 5 playlists – linguagem e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias. São mais de 15 mil visualizações, com mais de 1.200 horas de exibição e 1.137 inscritos pelo canal do Youtube.

     

    “Esse número de acessos é maior porque temos mais plataformas, inclusive a TV Assembleia via parabólica cujo acompanhamento não temos ainda uma medição, além do TV pela internet. Até o final do ano, serão 200 aulas que contemplam todas as habilidades das áreas que são exigidas no Enem”, explica o coordenador do Ensino Médio da Seduc, Isaltino Barbosa.

     

    Toda a produção dessas videoaulas está sendo a custo zero para os cofres públicos. As gravações são feitas com equipamentos do Estado e no estúdio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci). Os professores apresentam as aulas de forma voluntária e o espaço na programação da TV é gratuito.