Rocha aciona Ministério Público e pede afastamento de prefeita por improbidade
20 de Junho de 2018 - Fonte:Assessoria
Compartilhar
  • O pedido de afastamento da prefeita de Sinop Rosana Martinelli (PR) e do vice-prefeito Gilson Oliveira (MDB), por improbidade administrativa, surgiu após o vereador Adenilson Rocha (PSDB) fiscalizar um processo licitatório feito através de uma ‘Ata Carona’, para aquisição de um sistema para a secretaria de educação. O protocolou no Ministério Público aconteceu na tarde desta terça-feira (19).

     

    Adenilson observou que a ‘Ata’ não traria as mesmas especificações técnicas necessárias para Sinop, quesito essencial para este tipo de procedimento. “O certame foi realizado no município vizinho e era voltado para atender 32 unidades escolares no valor de R$ 503 mil. Já o Município de Sinop possui 37 unidades escolares, ferindo o limite de 100% do quantitativo da ata em questão. Outro problema seria o custo para Sinop atender todas as unidades, maior do que o dobro da ata anterior em mais de R$ 130 mil”, esclarece o vereador.

     

    Além dos valores praticados, a empresa cobrou de uma cidade R$ 265 reais e em Sinop o valor por unidade foi cobrado R$ 1.134. “Não consigo entender como que a empresa cobra do município de Vila Bela da Santíssima Trindade um valor muito menor que a empresa estaria cobrando para prestar o mesmo serviço em Sinop”, enfatiza Adenilson.

     

    O documento protocolado pelo vereador pede a investigação do Ministério Público, o cancelamento do contrato com a empresa com a devolução dos valores já pagos e, enquanto durar o processo, que a prefeita e o vice, sejam afastados do cargo.