Vereador Adenilson pede construção de Centro Pediátrico em Sinop
31 de Julho de 2020 - Fonte:Assessoria / Marcos Silva
Compartilhar
  • O vereador Adenilson Rocha usou o espaço do pequeno expediente da 23 Sessão da câmara, realizada nesta segunda (27), para pedir a construção de um Centro Especializado em Pediatria para atender a demanda da saúde pública de Sinop.

     

    Rocha alertou para os vários casos em que crianças faleceram na UPA. “Por várias vezes já cobramos que o município crie um Centro Especializado de Pediatria. É muito triste diariamente ver mães sofrendo com seus filhos doentes sem uma estrutura apropriada para o seu atendimento, mas também ver mães sofrendo pela morte de seus pequenos. Não iremos parar de lutar e cobrar essa estrutura tão importante para a nossa saúde. Fiz um juramento em minha posse de Vereador que iria lutar pela população, e mesmo com a inércia do poder público municipal não irei desistir, podem contar comigo”, comentou Adenilson.

     

    Muitas crianças necessitam de atendimento com médico especialista em pediatria, e o fato de o Município não contar com um Centro Especializado tem causado um certo desconforto para algumas famílias, principalmente as de menor renda. “Já fiquei 8 horas com meu bebê no colo na UPA esperando um exame. Não pude ir nem no banheiro, pois não tinha com quem deixar meu filho. Triste mais e necessário, pois e o que tem ne? Então não podemos deixa nossos pequenos morrer em casa. Por mais sofrido q sejas temos q enfrenta isso”, desabafa a mãe de uma paciente.

     

    O vereador apontou alguns dos casos em tribuna. “Não quero pensar na dor de uma mãe ao perder um filho ou uma filha. Sou testemunha dessa dor, ao ver minha mãe sofrer. Mas essa dor está voltando a repetir com as mulheres que tem seus filhos na UPA”, pontuou.

     

    Casos constantes:

     

    Dia 24 de abril de 2019 Um bebê indígena morreu na Unidade de Pronto Atendimento de Sinop.

     

    No dia 27 abril 2019 uma criança de 1 ano e dois meses morre em UPA. A criança aguardava uma vaga em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) pediátrica. A paciente, segundo a direção da unidade, tinha um quadro de falta de ar e febre.

     

    Em outubro 2019 outro caso de uma criança de 1 ano e denúncia de negligência médica é apurada.

     

    Em maio deste ano, outra mãe perdeu sua bebê de apenas 4 meses. Existe a suspeita que um médico teria aplicado morfina na criança.

     

    No último dia 13/07, a família do pequeno Enzo ainda chora sua perca.